Está quase a chegar a primeira Maker Faire a Portugal!English

É já no próximo mês, dias 19, 20 e 21 de Setembro, que a Lisbon Mini Maker Faire irá trazer criatividade, tecnologia e diversão ao Pavilhão do Conhecimento em Lisboa. Um grande evento que irá pela primeira vez reunir a comunidade “maker” em Portugal e apresentar alguns dos seus magníficos projectos.

Os bilhetes são totalmente grátis e podem ser adquiridos directamente no site. Por isso não percam esta grande oportunidade e venham visitar-nos!

gbA Eduroam é um serviço internacional de acesso à internet para estudantes, professores e investigadores de instituições do ensino superior. A sua configuração permite-nos não só o acesso a nível local como também a qualquer Universidade internacional que faça parte da rede Eduroam.

De forma a que todos possam configurar facilmente esta rede nos seus dispositivos Android, indicamos agora os passos necessários:

 

1. Instalar Certificado de Segurança (Opcional)

Este passo não é absolutamente necessário mas é importante caso se pretenda utilizar a rede Eduroam noutras Universidades para além da Universidade do Algarve.

Primeiro conectamo-nos à rede “eduroam-install”, abrimos um browser, vamos a wireless.ualg.pt e fazemos download do certificado, em dados para configuração manual:

Screenshot_2014-02-04-18-54-39      Screenshot_2014-02-04-18-55-24

Para fazer download do certificado pressiona-se o link do mesmo durante uns segundos e escolhe-se a opção “Guardar link”. O Certificado deverá ter o nome “root.der”:

Screenshot_2014-02-04-18-56-10       Screenshot_2014-02-04-18-56-45

Para que o certificado possa ser instalado no Android, é necessário alterar a sua extensão de “.der” para “.cer”. Para isso acede-se à pasta dos Donwloads e altera-se o nome do ficheiro de “root.der” para “root.cer”:

 Screenshot_2014-02-04-18-56-55      Screenshot_2014-02-04-18-57-01

Alterada a extensão, pode-se agora instalar o certificado. Para isso acede-se às “Definições >> Segurança” e na secção de “Armazenamento de Credenciais” selecciona-se a opção “Instale a partir do armazenamento”. O certificado deverá ser detectado automaticamente e pode-se agora alterar o nome para Eduroam:

 Screenshot_2014-02-04-18-57-30     Screenshot_2014-02-04-18-57-36

* Caso o certificado não seja encontrado, este deverá ser colocado na raiz da memória interna do dispositivo.

**Para instalação do certificado poderá ser necessário adicionar uma password de bloqueio de ecrã.

2. Configurar a rede Eduroam

Nas redes disponíveis conectamo-nos à rede “eduroam” e inserem-se as seguintes configurações:

 Screenshot_2014-02-04-18-58-38      Screenshot_2014-02-04-18-58-42

Segurança: 802.1x EAP

Método EAP: PEAP

Autenticação de Fase 2: MSCHAPV2

Certificado: eduroam ou root (caso se tenha instalado o certificado no passo 1)

Certificado do usuário: não se altera

Identidade: axxxxx@ualg.pt (email de aluno)

Identidade anónima: não se altera

Senha: password da conta de aluno

E clica-se em ligar. Feito isto a rede deverá estar pronta a utilizar em qualquer Universidade com acesso à Eduroam!

Screenshot_2014-02-04-18-53-24      Screenshot_2014-02-04-18-53-44 

gb

Agora o eLab Hackerspace tem mais equipamentos novos à disposição :D

Este slideshow necessita de JavaScript.

  • Berbequim 500 W
  • 5 Extensões de 5 saídas
  • Serra Dexter
  • Conjunto de 204 acessórios para mini-drill
  • Conjunto de 17 chaves + 20 bits (Fendas, Philips, Torx, Sextavada)

gbA instalação do Ubuntu como dual boot ao lado do Windows sempre foi relativamente simples, no entanto, os novos computadores com Windows 8 têm novos mecanismos de protecção e segurança, e novas versões de Bios (as UEFI), que dificultam este processo.
Este guia indicará os passos tomados, para efectuar uma correcta instalação do Ubuntu, ao lado do Windows 8.

Recuperação do Windows

Devido ao risco inerente à gestão de partições do disco, é sempre aconselhado efectuar um backup do Windows. Desta forma, no caso das coisas correrem mal, existirá sempre uma última alternativa de recuperação.
No menu iniciar do Windows, escreve-se “Recuperação de Ficheiros” e selecciona-se essa opção.

backup

Por alguma razão estranha, esta ferramenta ainda se chama “Recuperação de Ficheiros do Windows 7″ apesar de ser do Windows 8.

Aqui criou-se um disco de recuperação:

recover disc

E uma imagem do sistema:

image system

Reduzir a partição do Windows

De seguida reduziu-se a partição do Windows, de forma a criar espaço livre no disco, para instalar o Ubuntu.
Para isso, botão direito sobre “Computador” e seleccionar “Gerir” depois “Armazenamento” e “Gestão de discos (local)”:

disk management

Seleccionar a partição do Windows, clicar com o botão direito do rato e escolher “Reduzir Volume”.

reduce

De seguida selecciona-se a quantidade de espaço que se deseja reduzir. Neste caso optou-se por 250GB, uma vez que o disco era de 1TB, e apenas tinha 55GB ocupados (sim, as imagens têm outros valores, mas devem ser ignorados :P).

Preparar o instalador USB do Ubuntu

Primeiro é necessário fazer o download do Ubuntu em: http://www.ubuntu.com/download/desktop

Seleccionou-se a versão 12.04 de 64 bits. É essencial que seja escolhida a versão de 64 bits, porque os computadores com Windows 8 trazem UEFI/secureboot, e a versão de 32 bits não é compatível com estes sistemas.
Fez-se download desta versão e preparou-se a mesma numa pen USB de 2GB através do programa UNetbootin: http://unetbootin.sourceforge.net/

unetbootin

Escolhe-se a segunda opção, “Imagem de disco” e procura-se a versão escolhida. Deve-se garantir que o Disco seleccionado corresponde à pen drive!

Desactivar arranque rápido e secure boot

Para garantir que o sistema operativo é instalado em condições, deverão ser desactivadas estas duas opções.

Para desactivar o arranque rápido basta ir ao painel de controlo e entrar nas opções de energia.

energy

Do lado esquerdo seleccionar “Escolher o que faz o botão para ligar/desligar”.

Depois, activar no topo da página: “Alterar definições que estão actualmente indisponíveis”:

cover_c

Nas definições de encerramento, desactivar a opção “Activar arranque rápido” e guardar as alterações:

fast boot

De seguida é necessário desactivar o secureboot. Esta ferramenta foi implementada no Windows 8 nas novas Bios UEFI, como mecanismo de protecção e segurança, para prevenir contra o arranque de software malicioso e sistemas operativos “não autorizados” durante o arranque do computador.
Como tal, esta ferramenta bloqueará qualquer sistema operativo que seja instalado para além do Windows 8, pelo que tem que ser desactivada.
Para fazer isso é necessário aceder à Bios do computador e mudar a opção Secureboot para “Disabled”:

IMG00408

O arranque deve ainda ser definido para USB para que a pen possa ser lida no arranque.
Feito isto, pode então ser corrido o Ubuntu.

Instalar o Ubuntu

A pen de instalação deve ser conectada ao PC e o computador reiniciado. Um menu deverá aparecer com as opções do Ubuntu se bem que neste caso o menu estava distorcido e imperceptível. No entanto a opção correcta deverá ser a primeira, então basta pressionar Enter.

IMG00411

O Ubuntu será então arrancado pela pen drive normalmente:

ubuntu

Aqui basta iniciar o instalador do ambiente de trabalho normalmente: “Install Ubuntu 12.04”.
Escolhem-se as opções de língua, a conexão à internet  e depois o tipo de instalação:

install

Escolher a opção “Outra coisa” para instalar o Ubuntu com as opções definidas pelo utilizador.

É aconselhada a criação de 4 partições:

 1.    /boot – Instalação do arranque do sistema

Tamanho: Cerca de 300 MB deverão ser suficientes
Tipo de partição: primária
Tipo de sistema de ficheiros : ext2
Mount Point: /boot

2.    /   – Instalação do sistema de ficheiros

Tamanho: variável
Tipo de partição: Lógica
Tipo de sistema de ficheiros : ext4
Mount Point: /

3.    /home – Armazenamento de ficheiros pessoais

Tamanho: variável
Tipo de partição: Lógica
Tipo de sistema de ficheiros : ext4
Mount Point: /home

4.    swap – Partição dedicada à memória virtual

Tamanho: depende da RAM do PC, mas neste caso usámos 6GB
Tipo de partição: Lógica
Tipo de sistema de ficheiros : swap area

Definidas todas as partições é fundamental indicar qual a partição para instalação do bootloader. Neste caso /boot.

Feito isto pode ser finalizada a instalação que deverá ocorrer sem problemas.

Gestor de arranque

Terminada a instalação pode-se desligar o PC e remover-se a pen. Depois inicia-se o PC normalmente para verificar o que acontece.
Idealmente deveria aparecer um menu de arranque permitindo seleccionar entre o Ubuntu e o Windows, mas geralmente não é isso que acontece, mas sim uma das situações seguintes:

1. O Ubuntu é iniciado
2. O Windows é inciado
3. Nenhum sistema é inciado

Se nenhum sistema iniciar é provável que a opção de secureboot não tenha sido desactivada.

Se um dos sistemas iniciar é provável que exista um problema de gestão de arranque, para corrigir isto, é necessário entrar no Ubuntu novamente através da pen drive.

Já no Ubuntu abre-se o terminal:

De seguida instala-se o boot-repair, através dos seguintes comandos:

sudo add-apt-repository ppa:yannubuntu/boot-repair
sudo apt-get update
sudo apt-get install boot-repair

Depois de instalado basta executar o boot-repair e carregar em “Recommended repair”:

bootrepair

Durante o processo, o programa irá requisitar que alguns comandos sejam inseridos no terminal pelo utilizador, basta seguir as respectivas instruções.

No final de todo o processo basta reiniciar a máquina e o grub2 deverá aparecer como gestor de boot.

Deverão aparecer algumas opções de arranque. No nosso caso foram as seguintes:

  • Ubuntu, com Linux 3.8.0-31-generic
  • Ubuntu, com Linux 3.8.0-29-generic
  • Previous versions
  • efi/EFI/Boot/bkpbootx64.efi
  • Windows UEFI bkpbootmgfw.efi
  • Windows Boot UEFI loader
  • System setup

A primeira opção com a versão do Ubuntu é a responsável por iniciar esse sistema operativo, por sua vez a opção “Windows Boot UEFI loader” será responsável por iniciar o Windows 8.

O computador está agora pronto a ser utilizado correctamente com o Ubuntu 12.04 e com o Windows 8.

Personalização do gestor de arranque (opcional)

De forma a simplificar as opções disponíveis do gestor de arranque, pode-se instalar ainda o “Grub Customizer”.

Esta aplicação permite, entre outras coisas:

  • Definir o sistema operativo que arranca por omissão
  • Definir tempo de apresentação do Grub
  • Esconder/Apresentar entradas de sistemas operativos

A ultima versão do Grub introduz algumas melhorias a nível de compatibilidade com o ambiente de trabalho KDE, algumas traduções e um conjunto de melhorias das funcionalidades já existentes.

Para instalar, abre-se o terminal do Ubuntu e escrevem-se os seguintes comandos:

sudo add-apt-repository ppa:danielrichter2007/grub-customizer
sudo apt-get update
sudo apt-get install grub-customizer

Instalado o programa, este pode então ser aberto e configurado.

No separador “Configuração da lista” pode-se eliminar opções não utilizadas, de forma a mostrar apenas as desejadas, neste caso uma opção para Ubuntu e uma opção para Windows 8. Ao clicar com o botão direito também é possível alterar os nomes apresentados, neste caso mudou-se de “Windows Boot UEFI loader” para “Windows 8”:

grub

As opções apagadas vão para o “lixo” ondem podem ser restauradas a qualquer momento:

grub2

No separador “Configurações gerais” pode ser definido o tempo limite para selecção e qual a definição predefinida:

grub3

Em “parâmetros do kernel” a opção “quiet splash” indica que não será apresentado nada durante o arranque do sistema.

Por fim em “Configuração da consola” pode ser selecionada uma imagem de fundo e as cores do menu:

grub4

Feitas as alterações desejadas, clica-se em gravar e reinicia-se o PC.

Ao iniciar o computador, deverá ser apresentado um menu ao utilizador com apenas 2 opções:

IMG00415

E o Ubuntu está agora pronto a ser utilizado lado a lado com o Windows 8 com um menu de arranque mais simplificado.

NOTA: As actualizações do Windows podem desactivar o menu de arranque. Sendo depois necessário activá-lo novamente.

Deve-se ter em atenção que gerir partições pode ser algo perigoso para quem não sabe bem o que está a fazer. Podem ser causados danos permanentes e perda de dados.

gbRecentemente surgiu a necessidade de criar uma caixa para a placa de desenvolvimento BeagleBone.

Com o orçamento limitado e depois de uma pesquisa na net, concluímos que não existia nenhuma solução que servisse as necessidades.

Decidimos fazer uma com Legos. Então fomos buscá-los ao baú dos brinquedos :D

Os resultados são os seguintes :

DSC01928 DSC01929 DSC01931 DSC01932 DSC01934

Links úteis:

http://beagleboard.org/Products/BeagleBone

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.